Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in posts
Search in pages
familias

Você está usando todos os recursos dos seus produtos tecnológicos?

– Algumas funções práticas dos sistemas de segurança que são pouco utilizadas, mas muito úteis.

Automação e o módulo PGM

Hoje as pessoas usam poucos recursos dos produtos tecnológicos que elas compram. Isso é fato.

Um exemplo disso são as centrais de alarme que podem ser configuradas para realizar uma automação residencial utilizando módulos PGMs.

PGMs são saídas programáveis para o acionamento de equipamentos elétricos em geral como: Refletores, motores, fechaduras elétricas entre outros…

Ele é um módulo para comandos remotos que funciona como um interruptor liga/ desliga, assim como um interruptor de luz, que é conectado a um dispositivo para fornecer energia ao mesmo e receber um comando para que possa ser ligada ou desligada. O sistema de alarme acionará o interruptor com base no tipo de ação para o qual você o programou.

Os módulos PMGs podem ser acionados por teclado, software, controle remoto e aplicativos para celular e programado para usar eventos recebidos pela central para acionar outros dispositivos como lâmpada, portão eletrônico, ar-condicionado etc.

As possibilidades de automação são inúmeras, basta o cliente combinar os eventos com as ações desejadas.

Conheça esse produto em https: jfl.com.br/familias/modulo-pgm/

Saiba mais sobre os aplicativos em https: jfl.com.br/produtos/alarmes/aplicativo-e-software-alarmes/

 

Controle de acesso e segurança

Utilização de sensores infravermelhos ativos como cercas virtuais.

Uma cerca virtual pode ser definida como um limite de acesso sem uma barreira física, sendo o perímetro de alcance definido por você, conforme suas necessidades.

Isso pode ser feito, utilizando-se os sensores infravermelhos ativos. Os principais benefícios dos sensores infravermelhos incluem seus baixos requisitos de energia, seus circuitos simples e seus recursos portáteis.

Os sensores têm um funcionamento bem simples e podem ser instalados em diferentes lugares, como teto, paredes, portões e muros e servem como verdadeiras “armadilhas” em áreas abertas como jardins, gramados e decks. Quando alguém ou algo ultrapassa a linha delimitada, o sensor consegue identificar essa presença através da interrupção dos feixes de luz e assim, um alarme é imediatamente acionado.

Estes sensores também podem ser utilizados em alguns processos de automação de controle como, por exemplo, abertura de portas e portões, acionamento de cancelas, bloqueis e ativações de dispositivos, etc.

Mas, além do uso desses sensores para a segurança patrimonial, eles também podem ser usados para a segurança de sua família, dentro de sua residência. Os sensores de barreira podem ser utilizados ao redor de piscinas, por exemplo, podendo prevenir acidentes com crianças e animais de estimação.

 

Saiba mais detalhes em https: jfl.com.br/produtos/sensores/

 

Concluindo

Acompanhando a tecnologia, a segurança eletrônica evolui constantemente e, o emprego desses recursos em nosso dia a dia é um caminho sem volta.

A melhor maneira que temos de utilizar todo esse desenvolvimento disponível é nos manter cada vez mais atualizados e procurar desfrutar de todas as facilidades que ele pode nos oferecer, facilitando nossa vida através da integração dos recursos humanos e tecnológicos.

Consulte nossos produtos em https: jfl.com.br

Como investir em segurança patrimonial sem gastar muito.

Com o aumento crescente da criminalidade em nosso dia a dia, aumenta também a nossa preocupação com a segurança de nossa família. Apesar disso, nem todo mundo consegue ter um budget alto para contratar uma empresa de segurança patrimonial ou investir em grandes centrais de segurança.

Os gastos de final de ano com férias, viagens, festas e os gastos que chegam todo início de ano como IPVA, matrículas, material escolar, tudo isso consome uma grande parte do orçamento doméstico e acaba por limitar o valor disponível para investir em sistemas de segurança.

Felizmente, a tecnologia atual proporciona mecanismos cada vez mais práticos, eficientes e acessíveis para manter uma determinada área protegida, seja com o monitoramento em tempo integral a qualquer momento e de qualquer lugar ou por meio de restrições de acesso.

Graças a essa variedade de produtos, é possível montar a própria central de segurança em casa, o que pode ser uma alternativa tão eficiente quanto contratar uma empresa – e bem mais barata.

Cercas Elétricas

Esse recurso tem a função de repelir uma possível ação através dos muros da propriedade. Seu choque pulsativo, apesar de não ser nocivo por não possuir energia suficiente, causa  extremo desagrado e, como consequência, funciona bem na prevenção de invasões.

Quando há o contato com a cerca, um alarme é disparado e o choque espanta o invasor sem maiores danos.

Esse recurso possui vários atrativos como: Baixo custo, baixo consumo de energia, resistência ao tempo e alta confiabilidade. Também tem a vantagem de caso ligada a um eletrificador, permitir acesso remoto, arme e desarme, através de smartphones.

Para conhecer nossa linha de   eletrificadores acesse: https://jfl.com.br/produtos/eletrificadores/

 

Alarmes sonoros e de barreira

Embora já conhecidos, não deixam de ser muito eficientes pois, dificilmente algum invasor irá permanecer no local com um barulho ensurdecedor anunciando que algo está errado.

Para isso ocorrer, o indicado é que sejam usados sensores infravermelhos de presença que sejam acionados assim que os feixes sejam interrompidos.

Para esses casos são indicados os sensores infravermelhos ativos, utilizados de preferência em locais externos de entrada e saída de veículos ou grande movimentação.

 

Para conhecer nossos sensores acesse: https://jfl.com.br/produtos/sensores/

 

Monitoramento prático

A simples presença de câmeras de segurança já podem inibir a ação de ladrões.

As câmeras IP, por exemplo, podem ser uma solução bastante eficaz e acessível para quem quer deixar sua casa segura, mas que também tem que arcar com os gastos extras que chegam todo início de ano.

A instalação é bem mais simples, já que grande parte desses modelos de câmeras trabalham através de Wi-Fi. Você liga na tomada, conecta o cabo de rede no computador, coloca os dados do seu roteador e depois a leva pro canto dela podendo efetuar gravação em servidores de rede sem a necessidade de um gravador de vídeo.

 

Na palma da sua mão

Para complementar a fácil acessibilidade com baixo investimento ao monitoramento de sua residência, você pode utilizar também os softwares que possibilitam o acesso remoto através de smartphones e tablets. Com esse aplicativo você tem acesso e controle das centrais monitoráveis, eletrificadores, imagens de câmeras, etc.

Estes aplicativos permitem a programação remota de dispositivos sem fio, centrais monitoráveis, armar e desarmar alarmes , acesso a portão eletrônico, ar condicionado, luzes, etc, tudo isso visualizando em tempo real as imagens de sua câmera.

Para conhecer nossas câmeras IP acesse: https://jfl.com.br/produtos/cftv/camera/ip/

 

Com tantas opções e variedade, esperamos que você encontre a solução que melhor lhe atenda, com o melhor custo benefício.

Conheça mais produtos em  jfl.com.br

É possível monitorar seu PET por meio de câmeras.

Monitore animais de estimação por meio de câmeras.

Quem divide sua casa com seu animal de estimação sabe bem o que é a preocupação de ter que sair e deixa-lo para trás. Deixá-lo sozinho para ir ao trabalho, estudar ou ter que viajar sem poder levá-lo é uma missão dolorosa, sem contar não saber o que estão aprontando durante este período de “solidão”, não é?

Felizmente podemos contar com a tecnologia de produtos que, além de assegurar o acompanhamento da segurança de sua casa, também ajuda a monitorar esses amigos que somos obrigados a, por vezes, deixar para trás.

Atualmente, existem alguns modelos de sensores de segurança que possuem a função PET, que é um sensor inteligente que permite aos animais a permanência dentro de casa, na ausência dos donos, sem disparar alarmes.

Conheça a linha completa de sensores JFL : https://jfl.com.br/produtos/sensores/

Unir o uso desses sensores com as câmeras de segurança, que monitoram em tempo real a movimentação da casa, facilita muito a nossa vida.

Há vários modelos de câmeras disponíveis no mercado que podem ser suas grandes aliadas na segurança de sua residência e no monitoramento de seu animalzinho.

As câmeras de segurança podem vir em diferentes modelos que variam quanto a qualidade da filmagem e do material.

O ideal é que você consulte um profissional de segurança eletrônica para que ele possa orientar melhor qual o tipo de equipamento mais indicado para as suas necessidades especificamente.

Abaixo segue as características de alguns dos modelos disponíveis no mercado brasileiro:

Câmera infravermelho: possui sensores que captam imagens mesmo quando há pouca luminosidade, sendo capaz de capturar imagens no escuro sem perder detalhes, havendo modelos que inclusive gravam no escuro em até 5MP, ou seja, acima de Full HD.

Câmera IP: Permite acessar as imagens das câmeras via internet sem a necessidade de outro aparelho pois vem com um servidor interno.

Câmera Dome: é uma câmera revestida por um tipo de domo, ideal para instalação em ambientes internos.

Câmera Bullet: um dos modelos mais populares, ela se parece com um spot de iluminação, podendo ser instalada no teto ou nas paredes e podem ser encontradas em diversas variações.

Você também pode escolher modelos com resolução de imagem em 1MP, 2 MP, 5 MP ou 8 MP. Isso dependerá da qualidade das filmagens que se pretende gravar.

Também existem softwares que podem facilitar ainda mais sua vida. Sendo instalados em seu smartphone ou tablet, estes softwares permitem o acesso remoto de suas câmeras e centrais de alarme de onde quer que você esteja, ao vivo, na palma de sua mão, possibilitando que você arme e desarme alarmes, visualize as câmeras instaladas, receba notificações de informações da central de alarme, integre o gravador digital de imagem e a central de alarme, podendo assim estar seguro de tudo o que acontece em sua casa, e com seu Pet.

A JFL possui uma gama de produtos que podem te auxiliar nessa tarefa como por exemplo o Active Mobile V3 ou o WD-Mob V2.

Confira os modelos de câmeras e softwares JFL  em: https://jfl.com.br/produtos/cftv/

Casa Inteligente. Praticidade e segurança para o seu dia-a-dia.

A facilidade, praticidade e segurança que a tecnologia traz para o dia-a-dia através das possibilidades de automação e monitoramento remoto via software e app.

Casas inteligentes

Graças à Internet, hoje em dia é fácil configurar praticamente qualquer aparelho eletrônico em sua casa para que você possa controlá-lo a partir de um navegador da Web em qualquer lugar do mundo.

Essa facilidade saiu das telas de cinemas para virar uma realidade cada vez mais presente em nosso dia a dia.

 

A definição de automação residencial

A automação residencial faz o que diz: permite configurar e automatizar vários dispositivos dentro e fora da casa, trabalhando juntos de maneira automatizada no contexto de uma casa conectada.  Graças à automação residencial, você pode monitorar e controlar os componentes dentro e fora de sua casa com as fundações de infra-estrutura para uma casa verdadeiramente inteligente ou conectada, onde tecnologias de operação elétricas, mecânicas e outras tecnologias (TI) inteligentes atendem a Internet das Coisas.

 

O que é uma casa inteligente?

Uma casa inteligente é aquela em que os vários aparelhos elétricos e eletrônicos são conectados a um sistema central de controle por computador para que possam ser ligados e desligados em determinados momentos, através desse sistema.

Na forma mais avançada de casa inteligente, há um computador que faz o que você normalmente faz: monitora constantemente as câmeras da casa e liga e desliga os aparelhos de acordo com sua programação. Assim, por exemplo, ele monitora os níveis de luz que passam pelas janelas e automaticamente levanta e abaixa as persianas ou acende as luzes ao anoitecer. Ou detecta movimentos pelo chão e responde apropriadamente: se ele sabe que você está em casa, ele liga a luz e a música em salas diferentes enquanto você caminha entre elas; se souber que você está fora, soa um alarme de intrusão.

 

Como as casas inteligentes funcionam?

Supondo que você não esteja (ainda) na liga Bill Gates de ter uma casa inteligente multimilionária construída a partir do zero, você provavelmente estará mais interessado em adicionar um pouco de automação aos seus aparelhos existentes com o mínimo de barulho possível. Casas modestamente inteligentes como essa variam em complexidade, desde sistemas básicos que usam alguns módulos plug-in e cabeamento de eletricidade doméstica até sistemas sem fio sofisticados que você pode programar pela Internet. Aqui estão os mais comuns:

 

Módulos Plug-in X-10

Você conecta cada aparelho que deseja automatizar em uma pequena unidade de controle (geralmente chamada de módulo) e conecta-a ​​a uma tomada comum. Usando uma pequena chave de fenda, você ajusta dois mostradores em cada módulo.

O X-10 tornou-se um padrão internacional para controlar aparelhos, mas não é o único sistema que funciona dessa maneira.

Sistema X-10 controlado por computador

Se você quiser executar uma configuração mais sofisticada, com muitos dispositivos diferentes sendo ativados e desativados de várias maneiras diferentes, convém usar seu computador doméstico como controlador. Isso é fácil também! Você compra um kit de interface de computador doméstico X-10 que inclui um módulo (que se conecta a uma tomada como qualquer outro módulo), um cabo de interface para conectar o módulo ao computador (usando uma porta serial ou USB padrão) e alguns softwares. O software típico mostra uma representação gráfica de todos os seus dispositivos e permite definir padrões de ativação / desativação por um dia, uma semana ou até mais. Há o software X-10 para sistemas Windows e Linux.

Sistema de Internet sem fio

Um sistema X-10 controlado por computador com uma interface que você pode acessar pela Web. Com um sistema como este, você pode ligar webcams para assistir a sua casa (ou seus animais de estimação), ligar e desligar aparelhos em tempo real, ou até mesmo reprogramar todo o sistema.

 

Enfim

Talvez você ainda esteja em dúvidas se realmente precisa desses recursos. Você precisa comprar ainda mais aparelhos apenas para controlar os que você já tem?

Não é tão fácil adquirir o hábito de mudar as coisas sozinho. Você pode imaginar e se, ao invés vez de fazer grandes esforços para ligar a sua casa enquanto estiver fora de férias, você ficar amigo dos vizinhos e pedir-lhes que cuidem de sua casa para você? Mas, melhor ainda, e se ao invés disso você utilizar um aplicativo que te permita acessar sua casa de onde quer que você esteja? Para muitos de nós, uma casa é realmente uma máquina para viver – e se é assim que você gosta de viver, tudo bem. Mas é importante lembrar que existem muitas alternativas para facilitar seu modo de viver e que a automação residencial inteligente permite que você aproveite a funcionalidade e facilidades de alta tecnologia que não eram possíveis no passado.

À medida que o desenvolvimento de tecnologia continua a se expandir, também se expande as possibilidades de automação doméstica para tornarem a vida mais fácil e mais agradável. A escolha é sua.

 

A JFL possui softwares e aplicativos que podem auxiliar nessa questão como por exemplo o Active Mobile V3 ou o WD-Mob V2.

Saiba mais em

https://jfl.com.br/produtos/alarmes/aplicativo-e-software-alarmes/

O que são e para que servem os sensores infravermelhos passivos num sistema de alarme?

Existem atualmente no mercado vários componentes de segurança que são primordiais na estruturação de um sistema de segurança eficaz.

O sensor infravermelho passivo é utilizado para detecção de intrusão através da verificação da variação de temperatura do ambiente. Ele oferece a precisa detecção dentro de um ambiente definido fazendo acionar o alarme.

Estes sensores podem ser configurados conforme a necessidade de alcance e sensibilidade, permitindo que a cobertura seja adaptada para variados ambientes como áreas fechadas, áreas semiabertas e áreas externas.

 

O que são sensores infravermelhos passivos?

Um sensor de infravermelho passivo é formado por um receptor que reage à emissão de raios infravermelhos. Quando ocorre um movimento no ambiente há uma variação de luz infravermelha que permite que o sensor perceba essa movimentação.

Este tipo de sensor infravermelho é chamado de passivo, pois ele capta o calor do corpo detectado no ambiente sem emitir luz infravermelha.

Funciona tanto em ambientes externos quanto em internos, sendo que para cada aplicação existe um tipo mais indicado de equipamento.

 

CARACTERÍSTICAS

Os sensores infravermelhos têm uma lente denominada Fresnel, que caracteriza-se por ser branca leitosa e multifacetada, com um led interno que acende quando capta a intrusão no ambiente.

Os sensores passivos podem ser com ou sem fio. Os com fio, ficam ligados diretamente a central de alarme e os sensores sem fio funcionam com baterias como fonte de alimentação e transmite dados através de ondas de rádio.

Alguns modelos de sensores oferecem a detecção de microondas, sendo capazes de detectar de maneira mais precisa qualquer movimento no ambiente. Também podem possuir a função anti-mascaramento, que identifica bloqueios acidentais ou intencionais que por alguma razão, possam enganar o sistema de detecção do sensor.

Alguns sensores possuem também a função PET, evitando detecção da presença de pequenos animais e disparos desnecessários do alarme.

Estes sensores também podem ser adaptados quanto ao nível de alcance, podendo ser ajustado para vários locais, oferecendo cobertura em diferentes ambientes. 

 

COBERTURA DE SENSORES COM FIO

Os sensores infravermelhos passivos com fio e sem fio podem ser ajustados de acordo com o ambiente que será instalado.

  • A distância de detecção é de até 15 metros;
  • Ângulo de detecção é de até 115°;
  • Indicado para ambientes fechados, semiabertos e totalmente abertos;

 

CUIDADOS NA INSTALAÇÃO DOS SENSORES PARA GARANTIR A EFICIÊNCIA DO SISTEMA DE SEGURANÇA

 Para que este componente de alarmes funcione perfeitamente, são necessários alguns cuidados na sua instalação:

  • Não instale o sensor direcionado para superfícies refletoras, fontes de luz infravermelha ou próximo a objetos que causam mudanças bruscas de temperaturas como janela, ventiladores ou aquecedores.
  • Não instale o sensor direcionado para uma escada que um animal de estimação possa ter acesso.
  • Não coloque objetos ou móveis de altura superior a 0,8m, que um animal de estimação possa escalar (por exemplo, um gato em um sofá).

 

POR SE TRATAR DE EQUIPAMENTO DE SEGURANÇA E DE AJUSTES SENSÍVEIS, DEVE SER INSTALADO POR PESSOAS TÉCNICAS ESPECIALIZADAS E EXPERIENTES.


Confira aqui a linha de sensores passivos da JFL Alarmes.

Entre em contato com a JFL Alarmes e solicite mais informações.

Como acompanhar remotamente idosos que moram sozinhos?

A evolução da estrutura familiar e o aumento da expectativa de vida resulta em  mais pessoas vivendo sozinhas quando envelhecem. A cada dia, mais e mais idosos vivem sozinhos segundo a ONU. Mas, por quê? Principalmente porque a maioria dos idosos deseja viver de forma independente, em sua própria casa, o maior tempo possível.

Ter que monitorar familiares idosos que estão vivendo sozinhos é caminhar em uma linha tênue que transita entre cuidado e invasão. Quando chegar a hora, todo filho vai querer encontrar um equilíbrio que permita a seus pais agir em um ambiente familiar e confortável, onde eles não se sintam monitorados. Afinal, eles percorreram um lindo caminho até aqui e merecem manter seu orgulho e dignidade, não é mesmo?

Como ter o cuidado extra necessário para os idosos que vivem sozinhos?

Com a diminuição da mobilidade, das capacidades cognitivas e sensoriais, bem como o enfraquecimento do corpo, o fato de viver sozinho pode tornar-se gradualmente inseguro para alguns idosos. Eles são cada vez menos capazes de garantir seu bem-estar sozinhos e é preciso identificar quando é hora de acelerar o monitoramento.

Conheça algumas soluções práticas e não invasivas:

  • Fazer uso de rótulos, notas adesivas e outras ferramentas;
  • Interruptores de luz com etiqueta;
  • Rótulo de controles remotos por aparelho e sala.
  • Luzes noturnas que se acendem quando escurece para ajudar a proteger contra quedas;
  • Chaleiras com um assobio alto;
  • Sistemas anti transbordamento para evitar inundações.

 Como a tecnologia inteligente é solução para o atendimento ao idoso?

A indústria de tecnologia de cuidados a idosos, através do desenvolvimento de soluções inteligentes dedicadas, pode ajudar os idosos a viverem sozinhos na sua própria casa o maior tempo possível. Sensores inteligentes definitivamente têm um grande papel a desempenhar quando se trata de capacitar os idosos e cuidadores.

Sensores, ativação de voz, GPS, Bluetooth, conectividade via telefones celulares, aplicativos de monitoramento de smartphones e computadores estão se tornando uma opção viável para um número crescente de pessoas.

A JFL Alarmes possui alguns equipamentos que podem auxiliar no monitoramento dos idosos, facilitando o acesso das famílias à segurança dos seus familiares.

A empresa possui uma vasta gama de sensores de presença, câmeras de segurança e centrais de monitoramento, softwares para smartphones e tablets para controle de acesso, programações de centrais de alarme e etc e uma pulseira de pânico que pode ser facilmente ativada.

Confira mais em https://jfl.com.br/

5 dicas para deixar sua casa em segurança e viajar tranquilo nas férias

Tempos de férias são bons demais, né? Passeios, diversão e família reunida. Neste período é muito comum fazer uma viagem para fugir da rotina, desligar dos afazeres do dia a dia e tudo o que você quer é curtir seu descanso sem nenhuma preocupação extra, não é mesmo?

Mas para isso, precisa ter a certeza de manter a casa segura nas férias enquanto está fora e tomar algumas precauções, principalmente devido ao aumento da incidência de roubos, comuns neste período de final de ano.

Listamos aqui algumas sugestões para você manter sua tranquilidade enquanto curte seu merecido descanso:

 

  • Seja discreto – A segurança da sua casa nas férias começa bem antes da sua viagem. Não corra o risco de que a notícia se espalhe e qualquer pessoa fique sabendo que a casa estará vazia. É bom também evitar compartilhar muitas fotografias ou informações sobre as suas férias nas redes sociais;

 

  • Certifique-se de que todas as portas, portões, janelas, travas estão bem fechadas e resistentes – por mais que pareça uma coisa óbvia, por vezes, com a pressa e a ansiedade de sair logo para a viagem, podemos esquecer alguns detalhes básicos para a segurança da casa, então, confira se as portas e janelas estão devidamente trancadas. Também, é importante evitar deixar certas “evidências” de que a casa está sozinha, como, por exemplo, cadeados grandes e correntes do lado de fora dos portões, pois isso demonstra que a casa está vazia. Trancar as portas e janelas no interior da casa também dificulta a circulação em caso de invasões.

 

  • Deixe a chave de sua casa com alguém de confiança – Pode ser algum familiar, amigo ou vizinho, o importante é que alguém possa ficar de olho, que retire as correspondências pra que o acúmulo de cartas no jardim ou na garagem não gere evidência de que a casa está vazia. Em ausências prolongadas, peça a um parente para visitar sua casa, para demonstrar a presença de pessoas – abrindo janelas, regando jardins, entrando com o carro na garagem;

 

  • Use a tecnologia a seu favor – Invista em alarmes, sensores e em câmeras de segurança que possibilitem que você possa monitorar sua residência de forma móvel, à distância. Antes de viajar, faça testes nesses equipamentos para se certificar de que estão funcionando corretamente e deixe a pessoa de confiança a par do funcionamento dos equipamentos. Também vale a pena utilizar temporizadores para ligar e desligar luzes, rádios e televisões, para dar a impressão de ter alguém na casa.

  

  • Desligue interfone e campainhas – Para verificar se há alguém em casa, os assaltantes podem tocar campainhas e interfones. Estando desligados, esses equipamentos não vão emitir som. Dessa forma, se alguém acionar algum desses dispositivos, não saberá se ele está com defeito ou se realmente não tem ninguém em casa.

 

EQUIPAMENTOS DE SEGURANÇA RESIDENCIAL

Para auxiliar nas precauções acima, você pode utilizar uma variedade de equipamentos para reforçar a segurança de sua casa e de sua família.

A JFL possui alguns equipamentos que podem ser muito úteis nesse caso, como você pode conferir a seguir:

Iluminação e sensores – Investir em pontos de luz na fachada, jardins e laterais da casa, junto com sensores de presença também podem inibir a ação de bandidos.

Os sensores de presença funcionam para detectar a presença de pessoas, carros e podem ser configurados para permanecerem acesos durante um determinado tempo, apagando somente ao passar esse tempo e caso não detecte mais nenhum movimento nesse intervalo.

Clique para conhecer os produtos de Iluminação JFL.

Câmeras e sistemas de segurança – Possuir um sistema de segurança, principalmente se monitorado por uma empresa especializada, permite segurança 24 horas por dia. As câmeras podem ser de diversos modelos, oferecendo até mesmo o acesso remoto das imagens em tempo real, gravação de imagens, etc. Também é indicado a instalação de câmeras de segurança nas áreas internas e externas. Elas podem ser do modelo Wi-Fi que são de fácil instalação e ficam conectadas ao seu smartphone, seu PC, possibilitando o acesso remoto das imagens em tempo real e em alta resolução. Elas ainda oferecem a opção de gravar as imagens, bastando adicionar um cartão de memória específico para esse fim.

Além disso, existem sistemas que avisam ao usuário qualquer movimentação estranha na residência, permitindo a rápida tomada de medidas de segurança.

Clique aqui para conhecer os sistemas de CFTV JFL.

Central de Alarme de Incêndio: por que usá-los no seu negócio?

Prevenir incêndios é tão importante quanto saber apagá-los ou mesmo saber como agir corretamente no momento em que eles ocorrem.

Detectar o incêndio e outros acidentes de menor proporção no início podem deixar de transformar-se em tragédia se forem evitados e controlados com segurança e tranqüilidade por pessoas devidamente treinadas. Na maioria das vezes, o pânico dos que tentam se salvar faz mais vítimas que o próprio acidente.

Grande parte desse tipo de acidentes são imprevisíveis, porém podem ser detectados, logo no início, com a instalação de um sistema de alarme de incêndio, proporcionando agilidade nas ações a serem realizadas para controlá-los.

Segundo o Corpo de Bombeiros, o mais correto é que todos os trabalhadores da empresa coloquem em prática as normas estabelecidas sobre os cuidados preventivos e o comportamento diante de acidentes, promovendo exercícios, através da simulação de incêndios. Esse tipo de prática contribui suficientemente para a prevenção e a segurança de todos. Mas para efetuar essa operação é necessário um fator indispensável, a existência – em perfeito estado de uso e conservação – de equipamentos destinados a combater incêndios  conforme as condições de segurança estabelecidas por lei, que vão desde a obrigatoriedade de extintores de incêndios, hidrantes, mangueiras, registros, chuveiros automáticos (sprinklers) e escadas com corrimão.

Para se utilizar um sistema de alarme de incêndio, é indispensável que seja feita uma pesquisa sobre os equipamentos disponíveis no mercado, a idoneidade do fabricante e a experiência do profissional que fará a instalação.

 

Por que usar um alarme de incêndio no seu negócio?

O principal benefício da utilização desses equipamentos é ter a chance de detectar o acidente logo no início e evitar que tome maiores proporções. Com essa agilidade, é possível amenizar danos e reduzir a exposição de clientes e funcionários a maiores riscos.

Existem vários tipos de equipamentos destinados à prevenção a incêndios, alguns deles são:

–           Detector de fumaça: dispara o alarme ao detectar indícios de fumaça gerados pelo princípio de incêndio e envia a mensagem sobre a ocorrência à Central. Detectores confiáveis reduzem disparos de alarmes falsos, pois possuem proteção contra poeira.

–           Detector de temperatura: dispara caso a temperatura do ambiente atinja a temperatura máxima previamente configurada. Ao detectar esse calor, os detectores avisam a Central da ocorrência.

–           Acionador manual: precisam estar disponíveis e visíveis para que qualquer pessoa que perceba o princípio de incêndio possa acioná-los manualmente para também comunicar a Central.

–           Sinalizador audiovisual: o equipamento dispara quando a Central recebe o aviso de possível incêndio por outro tipo de dispositivo. Emite um sinal visual e sonoro, indicando a todas as pessoas a situação de alerta.

–           Central de alarme de incêndio: é o cérebro da operação e deve ser configurada por uma pessoa qualificada. Os dispositivos são conectados à central que, por sua vez, monitora todo o sistema e recebe informações dos dispositivos. Caso um deles detecte um princípio de incêndio, a central será a responsável por enviar os comandos que ativarão as sirenes de alarme de incêndio.

Como saber qual o melhor alarme

Para cada tipo de edificação predial há a necessidade de um sistema diferente de alarme. Prédios pequenos e com estruturas simples, podem utilizar equipamentos mais simples, que me enviam alarmes por setores. Já edifícios maiores exigem uma detecção mais precisa. Nesse caso, o equipamento deve  possuir um identificador específico em cada dispositivo para que a central consiga informar o local exato e o alarme acionado.

Os sistemas de alarme de incêndio devem entrar na pauta de segurança das reuniões de diretoria e Segurança do Trabalho.

Conheça todas as soluções da JFL Alarmes para Central de Alarmes de Incêndio.

Entre em contato com a JFL Alarmes para tirar suas dúvidas.